No Ar

A Voz do Brasil Direto de Brasília-DF

Home
  • Home
  • Mundo
  • Carros voadores devem estar prontos para uso até 2022

Carros voadores devem estar prontos para uso até 2022

21 abril 2017 Mundo


(Foto: Divulgação)

Agora é na vida real. Até 2022 você poderá olhar pro céu e visualizar “carros voadores” que comportarão até quatro passageiros. O fato é que já existe um modelo pronto desenvolvido pela Metro Skyway, subsidiária da Urban Aeronautics que agora deve desenvolver o “Carro Voador” CityHawk. O carro será abastecido inicialmente com combustível para aviões, mas apenas enquanto um tanque de hidrogênio ainda não for suficientemente seguro contra risco de explosões.

Atualmente, o modelo que existe é capaz de decolar como um helicóptero, usa o mesmo tipo de motor, conseguindo voar entre os prédios e também abaixo de linhas de transmissão de energia, com uma velocidade de 185 quilômetros por hora, além de ter funções de pilotagem autônoma como pouso em pontos específicos identificado no solo, decolagem e seguir certos trajetos.

Nesse voo teste do vídeo acima, ele não está sendo pilotado por ninguém, por exemplo. O problema é que ele só consegue manter o voo por uma hora por conta do tamanho do tanque de combustível.

Foto: Divulgação/ Urban Aeronautics

Existem vários problemas para serem resolvidos antes que finalmente seja possível ver carros voando por aí. O tempo que o veículo consegue manter voo; a segurança tanto contra acidentes diversos, colisões e possíveis quedas, até o risco apresentado pelo combustível que está sendo usado, nível de ruído e também as restrições no tráfego aéreo.

A empresa que vai fabricar o veículo acredita não ter problema para conseguir a permissão do seu veículo para voar fora de um simples teste, pois segundo eles, o conceito do CityHawk, que a princípio será como um taxi autônomo (ou seja, um Uber que você contata pelo aplicativo, mas que vem sem motorista e o levará voando pela cidade), estará totalmente enquadrado com os princípios de segurança das agências de aviação americanas e europeias.

 

 

Via O Povo


,

Compartilhar

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *